Tag Archives: Pensamento

“Musiquinhas mentais” – Como lidar com elas usando a PNL.

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Background 942

Hoje recebi um email de um leitor do Diário da Autoestima relatando  que gostaria de saber como lidar com as “musiquinhas mentais”. Sabe aquela música que não sai da sua cabeça? Até na hora de estudar ela fica “martelando” (com ritmo, é claro) e você não consegue seguir em frente com o que está fazendo, pois a mente te faz parar para “escutar” essa tal musiquinha?  Bom, essa é a segunda vez que escuto essa queixa, mas eu também tenho momentos que fico com minhas musiquinhas me atrapalhando. Acredito que isso possa ser uma maneira que temos para lidar com nossa ansiedade e “escutar” pensamentos musicais nos relaxam de alguma forma. Pena que esse “relaxamento”  aparece bem na hora que precisamos focar nossa atenção em algo.  Abaixo, colocarei algumas dicas para você não se deixar dominar por esse pensamento ritmado. Continue reading »

Pense em um tigre branco (PNL)

PNL exercício

O texto acima pode ter trazido experiências diferentes para você. Pode ter sido cansativo, por eu ter escrito muitas vezes a palavra tigre ou pode ter sido uma experiência interessante, com sensações de aperto no peito contrapondo com vontade de proteger. Cada pessoa vai interpretá-lo de uma maneira diferente. Somos assim, únicos. Voltando ao texto, quantas vezes eu escrevi a palavra tigre? Continue reading »

A força do pensamento (I) – Introdução

      Gostaria de iniciar uma série de postagens sobre pensamentos. Vivemos conforme nossos pensamentos. Agimos como pensamos. Somos o que pensamos.
      O ato de pensar é um privilégio do ser humano. Uma evolução. Apesar que quando olho para meus bichinhos de estimação tenho a impressão que eles pensam muito mais que algumas pessoas que conheço hehehe (brincadeira!).
      O pensamento é um mecanismo mental altamente organizado. É responsável por planejamentos, estratégias, definições, compressões, interpretações, execuções, etc.

Continue reading »

Tudo passa!

paz

“Tudo passa!”

Essa foi a frase que uma Lama budista (Sherab) falou para mim em um momento difícil de minha vida. Isso foi há alguns anos e eu ainda deixava meus pensamentos ruminarem em lamentações negativas e de autopiedade. Eu estava perdida e começara a perceber que pensamentos comandavam minhas escolhas. Não fazia boas escolhas naquela época. Procurei desenvolver o lado espiritual e confesso que fiquei um pouco confusa quando a Lama me falou aquela frase. Logo pensei: “Por que ela me falou isso? Será que está estampado na minha cara que estou infeliz?” Sim, estava. Eu deixava transparecer minha angústia a ponto das minhas expressões pedirem por ajuda. Qualquer um percebia que eu não estava bem. Acho que ser transparente tem essa desvantagem (rs). A Lama soltou essa frase. Assim, do nada. Quer dizer, das suas observações enquanto me olhava. Ela estava certa, passou. Aquela dor que eu sentia… passou! Assim, como muitas outras dores vieram depois… passaram! Tudo passa! Essa frase passou a frequentar minha mente diariamente. Até hoje penso nessa frase quando algo difícil acontece. “Vai passar, pois tudo passa!”

Aprendi que vivemos de momentos, bons e ruins. Todos momentos passam. Se estou passando por um momento triste logo penso que passará. E passa! Se estou vivenciando um momento bom. Este também passará, mas outro momento bom vai chegar. Assim é a vida, de momentos. Tudo passa! Não se desespere. Espere o próximo momento. Não se “apegue” aos momentos tristes ou decepcionantes. Eles passarão. Não se apegue também aos momentos bons. Deixe-os vir e aproveite cada segundo e os transforme em boas lembranças. Estes passarão e outros virão. A lei da impermanência no budismo, mas que deve ter outros nomes em religiões diferentes, mas tudo é assim, passageiro.

Faça dos seus momentos felizes boas lembranças e dos ruins, bons aprendizados.

Uma excelente semana a todos (com muitos momentos!)…

Mariza Matheus

Atraímos o que pensamos

rp_1.jpgTenho certeza que você já deve ter escutado essa frase do título umas dezenas de vezes, certo? Você acredita nisso ou entra por um ouvido e sai pelo outro?

Se minha mente só é alimentada por pensamentos negativos, como vou tomar atitudes positivas? Outra coisa, os semelhantes se atraem, ou seja, você toda(a) negativa(o) vai atrair pessoas também negativas ou pelo menos pessoas que têm a ver com que você acredita. Por exemplo: se você acredita que todo mundo é falso, vai acabar atraindo justamente pessoas pessoas falsas, pois em sua mente essa é sua verdade, portanto, você atrai o que pensa. Se construirmos crenças pessimistas em nossa mente, de uma forma ou outra, iremos constantemente querer comprová-las. E a cada comprovação mais forte nossas crenças se tornam. Uma bola de neve que só acaba em avalanche emocional.

Quando pensamos em relacionamentos, tive alguns casos de mulheres que se sentiam “invisíveis”  para os homens, que acreditavam que nunca seriam amadas de verdade e que todos os homens acabariam traindo ou abandonando-as. Se você pensa igual elas, que tipo de homem você acha que vai atrair? Estamos sempre tentando, de forma inconsciente, provar nossas verdades mentais. Acredito que um primeiro passo é mudar esse padrão de pensamento e, por mais difícil que pareça, é possível sim! Pode levar um certo tempo, pois geralmente os padrões estão enraizados, mas você é capaz sim de mudá-lo. Na verdade podemos mudar nossos padrões sempre, pra melhor ou pior, mas sempre dependendo de nós e não dos outros. A mudança começa dentro de cada um e só assim veremos mudanças em nossas relações. Experimente mudar um padrão negativo e me fale depois dos seus resultados!

Uma excelente manhã a todos…

Mariza Matheus

“A gente não consegue mais ficar em silêncio com a gente mesmo”

Essa foi a frase que acabei de escutar de uma jornalista do site UOL. Na matéria, a mesma relata nossa dependência das redes sociais. Bom, se você lê isso agora também curte a rede, certo? Mas até que ponto somos dependentes da internet?

A rede social interfere na sua autoestima? Pergunto isso pois atendo muitos jovens que têm a falsa ideia de que TODOS estão mais felizes, bem sucedidos e satisfeitos com a vida. Vivemos em um mundo cheio de vaidade e menos simplicidade.

Acredito que a internet é uma ferramenta maravilhosa, mas tem que ser bem utilizada. Não adianta eu usar a rede para ficar me comparando com os outros ou futricando na vida alheia. Comportamentos como estes vão só minar minha autoestima. Mas posso me manter informada e conectada com as novidades. Cuidado com o exibicionismo exagerado. Não caia num padrão de inferioridade ou necessidade de ser “mais um igual” entre tantos. Não fuja dos momentos de silêncio de autoconhecimento.

Aproveite o mundo virtual, mas não deixe de “curtir” o contato com as pessoas também. Não seja daqueles que chega ao restaurante e fica entretido no celular como um robô, sem dar atenção à sua companhia. Não deixe de jantar na mesa com sua família ou dar um carinho ao seu pet. Tudo com sabedoria!

Às vezes estar em silêncio “com a gente mesmo” pode surpreender… Pense nisso!

Um minutinho de silêncio a todos…

Diário da Autoestima

Foto: George Hodan