Tag Archives: Autoestima

Pensamentos Sabotadores – Como evitá-los

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Pensamentos sabotadores

Eu sempre falo sobre pensamentos, pois devemos MUITO cuidar deles com atenção. Não posso entrar em sua mente e fazer uma “limpeza” geral. Agora, você PODE e DEVE cuidar daquilo que pensa. Se formos analisar friamente, com quem você fica mais tempo em sua vida? Como você mesmo(a)! Com seus pensamentos! Agora eu lhe pergunto: sua companhia está sendo boa para você? Você gosta do que pensa? Continue reading »

Crenças que construímos ao longo da vida

crençasQuando você lê a palavra crença o que vem em sua mente? Algo religioso? E se eu te falar que construímos crenças o tempo todo, independente de religião? Desde pequenos aprendemos padrões de modelos diferentes. O nosso primeiro modelo, supostamente, vem de nossos pais. Nessa fase construímos, na verdade, a maioria de nossas crenças que carregamos na vida adulta. Isso, ao meu ver, é libertador no sentido que se encontramos crenças limitantes, mesmo que sejam da infância, podemos trabalhar nelas agora e conseguir novos resultados. Fingir que elas não existem ou limitar-se no conformismo do passado não te levará a lugar nenhum. Minto, pode te levar onde você está agora, ou seja, manter-se no mesmo lugar, obtendo os mesmos resultados. Está tudo bem em sua vida agora ou você gostaria que algo fosse diferente? Está satisfeito(a) com a carreira, com os relacionamentos e com você mesmo(a)? Se a resposta foi SIM então suas estratégias e crenças estão ao seu favor, continue assim! Mas, se a resposta foi NÃO, então seria interessante trabalhar suas crenças, o que você acha? Continue reading »

O ciclo da vida (relacionamentos)

AmorTodo mundo sabe que ao se relacionar com alguém é preciso paciência e tempo para “ajustar” as personalidades e diferenças. No início tudo parece perfeito, lindo do tipo amor eterno. Mas, com o tempo, percebemos que também não somos perfeitos. Como assim? Nós não somos perfeitos? Também não somos 100% da idealização do outro e nem por isso deixamos de ser interessantes. Por que a perfeição do tipo “comercial de margarina ou fotos do Facebook” tem que ser o objetivo principal da relação? Relacionar-se é estar com o outro, aprender e crescer. Continue reading »

Envelhecer com dignidade

Duas senhoras

Não… não é fácil envelhecer. O corpo muda, os cabelos ficam brancos e opacos, a pele mais flácida, o sorriso mais amarelado, a memória então… nem se fala. Mas é um processo. Faz parte. Não há como vivermos mais sem passar pelo envelhecimento. Envelhecemos a cada dia. Um pouquinho ali, outro aqui, mas é a vida. Tudo tem começo, meio e fim. Tudo bem. Esse é o curso natural de se ter o privilégio de acumular mais “vida” na vida. Continue reading »

Jardim das mágoas

Papoula

Cada vez que regamos uma planta damos alimento a ela, certo? Isso todos nós sabemos. Assim ocorre com nossas mágoas. Se as regarmos diariamente, o que você que vai acontecer? Sim, um enorme “jardim magoado” vai crescer com força. Ali, ocupando todo espaço de sua mente. Influenciando suas decisões e atitudes.

Todos nós temos que lidar, cedo ou tarde, com nossas mágoas e decepções. Tente não alimentá-las. Tente não regá-las. Na verdade não tente nada, pois “tentar” não é dar seu máximo. Dê o seu máximo para não fomentar suas mágoas. Dê o seu máximo para não alimentar o ódio dentro de você. Faça isso por você! “Regue” somente os sentimentos que te façam olhar pra frente. Não se permita viver neste jardim cheio de ervas daninhas!

Ao fomentarmos nossas mágoas elas permanecerão vivas e fortes, cada vez mais “verdes” aos nossos olhos. Passamos, então, a cultivar esse jardim das mágoas e lamentações. Mas esse “jardim” não nos alimenta a alma, pelo contrário, nos faz afundar num círculo vicioso de sentimentos negativos que arruínam nossa autoestima. Ok, não há como evitarmos uma decepção e nem fingirmos que algo ruim não aconteceu. Concordo. Mas por que alimentamos essa dor? Podemos aprender e/ou procurar uma solução, mas dar colorido a algo negativo nos impactará de tal forma que vamos contra nós mesmos.

Não regue o jardim das mágoas. Cultive sentimentos bons e plante novas sementes neste jardim. Chega de mágoas! Não há mais espaço para essa decepção que parece só dar frutos negativos. Há outros jardins bem mais interessantes e coloridos.

Uma excelente tarde a todos (com muitas flores de amor)…

Mariza Matheus

Foto: Martin Birkin (Public Domain Pictures)

Por que julgar o outro pela aparência?

rp_1.jpgSó quem já foi julgado sabe como é constrangedor ser desvalorizado pela a aparência. Recebo relatos sobre tal situação e sempre fico indignada, pois já devíamos ter evoluído, não? O ser humano ainda se prende a padrões mesquinhos (na minha opinião) e se sente no direito de julgar o próximo em decorrência de  sua cor, raça, cultura, por ter um nariz fora do padrão, por ser baixo demais, alto demais, muito magro, muito obeso, etc. Basta ser diferente de um padrão estabelecido por uma sociedade rígida que logo alguém é julgado. É como se a pessoa fosse errada por ser diferente. Diferente do quê? Quem determina como devemos ser? O mundo é tão grande e cheio de diversidade que isso sim é o normal. Por que não podemos enxergar o outro apenas por sua essência?

Recentemente, vi uma postagem no Facebook que achei muito interessante. Neste postagem havia vários esqueletos e, abaixo de cada um, uma legenda (negro, branco judeu, católico, mulher, homem, magro, obeso, etc). Somos todos iguais. Pronto! Agora cabe cada um de nós respeitar o próximo. Não adianta ficarmos indignados com quem julga se nossa mente é preconceituosa! Vamos fazer a nossa parte. Um primeiro passo seria tratarmos todos da mesma forma, pois, ao sentirmos realmente que somos iguais uns aos outros, agiremos como tal.

Não julgue! Lembre-se que atrás de um julgamento tem alguém que sofre as consequências.

Um mundo melhor com pessoas melhores para todos nós…

Mariza

Beleza X Autoestima

Mãos

Há algum tempo escrevi um texto sobre beleza e autoesitma (“Eu sei que sou feia“). Esse texto repercutiu bem no blog anterior mas, por outro lado, vi o tanto que a beleza é uma característica “fundamental” na nossa sociedade. Hoje, um leitor escreveu um comentário sobre sua experiência. Sei que é “fácil” pedir para se valorizarem e tentarem ressaltar suas qualidades. Mas como uma pessoa se sente quando seu ambiente a descrimina por sua aparência? Parece-me que o bullying é muito frequente, mesmo no mundo adulto. Gostaria de ter o “poder” de eliminar o preconceito, na cabeça de pessoas ignorantes, apenas com um texto. Mas, infelizmente, isso não é possível. Pessoas que se acham feias passam por situações constrangedoras diariamente, são julgadas e, portanto, podem apresentar baixa autoestima. E com baixa autoestima, maior o sentimento negativo sobre si mesmo.  Mas será que devemos julgar o outro por este não ter os padrões de beleza que a sociedade impõe? Uma pessoa que se sente excluída ou diferente das demais tem sua autoestima fragilizada e, em alguns casos, isolam-se ou até perdem a alegria de viver.

Já teve momentos em minha vida que me achei feia sim. Começou quando eu entrei na adolescência. Sentia-me diferente das outras garotas, que já estavam com corpo de mulher e eu ainda de menina. Depois encontrei inúmeros defeitos que só me deixavam mais retraída. Quando recebia um elogio eu não acreditava, achava que a pessoa só falava da boca para fora, não sentia sinceridade. Com o tempo fui me vendo de outra forma. Percebi, no meu caso, que a beleza estava relacionada também com atitude. Minha autoestima estava mais fortalecida e minha visão sobre mim mesma também mudara. Sei que cada caso é um caso, mas tente se ver de outra forma também. Valorize-se! Não deixe que julgamentos alheios destruam sua autoestima, sua essência. Não perca a alegria de viver por causa de padrões rígidos e estabelecidos de uma sociedade cheia de preconceitos. Você, eu, nós todos merecemos e devemos respeito!

Uma excelente noite a todos,

Mariza Matheus

Foto: George Hodan (Public Domain Pictures)

“Eu não consigo”

1-1256217176zbgk (1)Quem já falou essa frase levanta a mão!!! Nossa… Todo mundo levantou a mão?

É bem isso mesmo. Nós, de forma automática ou não, em algum momento repetimos a nós mesmo esse tipo de frase. Dizer que ninguém tem limitações é uma utopia. Mas tem um grupo de pessoas que repete constantemente “eu não consigo”. Seja por qualquer motivo. Eu vou dar o meu exemplo: “eu não consigo dirigir em São Paulo”. E acabo me boicotando. Hoje tento me vigiar e mudar essa frase para “mesmo com medo, eu vou dirigir em SP”. Tem uma clássica que escuto tanto de pacientes como amigas: “eu não consigo perder peso”. Há pessoas que repetem essa frase com tanta frequência na mente que acabam afundando sua autoestima.

Primeiro, conseguimos muitas coisas até não conseguir certa coisa a gente consegue. Entendeu? Não?? Acredito que conseguimos exatamente o que pensamos. Se eu acredito que não vou conseguir dirigir em SP por que vou tentar? Já sei que vai dar errado, pois minha mente está programada para “eu não consigo…”. Por mais difícil que seja uma determinada situação tente, ao menos, não dificultá-la. Pensar negativamente é como colocar mais um obstáculo em seu caminho. Colocar crenças negativas antes mesmo de seguir ir em frente impedirá você de dar o primeiro passo. “Ah, Mariza, já tentei mil vezes emagrecer e nada!”. Bom, talvez suas tentativas foram baseadas na crença (bem enraizada) de que seria mais uma tentativa fracassada. Tente, antes de emagrecer, mudar sua visão de você mesma e colocar metas curtas e fáceis de atingir. Por exemplo: quero perder 20 kg esse ano. E fico focada nisso, mas o tempo passa e ganho mais dois Kg!!!! Como assim? Na verdade eu quis, talvez, uma meta de difícil alcance nesse período e, com as dificuldades, fui cometendo pequenos deslizes para compensar o sacrifício. Por que não pensar que em uma semana você perderá 0,5kg, e nesta mesma semana, você irá se exercitar 3 vezes e… nesta mesma semana… você não comerá doces. Assim, quando a semana acabar, você faz uma nova meta para a semana seguinte. Cada semana um degrau. Sem metas muito longes, pois estas são fáceis de quebrarmos e, consequentemente, de decepcionarmos. Agora, sem achar que não vai conseguir, caso contrário sua tentativa maior vai ser da desistência.

Mude seu padrão mental e, por favor, PARE de repetir “eu não consigo”!!! Promete?

Com carinho…

Mariza Matheus

Imagem: Petr Kratochvil (Public Domain Pictures)

“Hoje, quando me olhei no espelho, gostei do que vi.”

AutoestimaEssa foi a frase de uma querida paciente. Ganhei meu dia quando percebi melhora em sua autoestima. Acredito que devemos, com cara amassada ou não, amar a nós mesmos. Não espere um elogio alheio para só então você “tentar” reconhecer seu valor. Independentemente de como acordamos, se estamos inchadas ou não, com mais ou menos rugas, precisamos enxergar além, muito além. Olhar-se para o espelho e gostar do que vê é um bálsamo para a autoestima. Não somos robôs onde a aparência é estática, somos humanos. Você pode até pensar que no “seu caso” é diferente, pois você nunca se achou bonita. Então, cara leitora, passe a se valorizar! Ressaltar seus defeitos não vai trazer nenhum benefício a você, pelo contrário.  Continue reading »