Jardim das mágoas

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Papoula

Cada vez que regamos uma planta damos alimento a ela, certo? Isso todos nós sabemos. Assim ocorre com nossas mágoas. Se as regarmos diariamente, o que você que vai acontecer? Sim, um enorme “jardim magoado” vai crescer com força. Ali, ocupando todo espaço de sua mente. Influenciando suas decisões e atitudes.

Todos nós temos que lidar, cedo ou tarde, com nossas mágoas e decepções. Tente não alimentá-las. Tente não regá-las. Na verdade não tente nada, pois “tentar” não é dar seu máximo. Dê o seu máximo para não fomentar suas mágoas. Dê o seu máximo para não alimentar o ódio dentro de você. Faça isso por você! “Regue” somente os sentimentos que te façam olhar pra frente. Não se permita viver neste jardim cheio de ervas daninhas!

Ao fomentarmos nossas mágoas elas permanecerão vivas e fortes, cada vez mais “verdes” aos nossos olhos. Passamos, então, a cultivar esse jardim das mágoas e lamentações. Mas esse “jardim” não nos alimenta a alma, pelo contrário, nos faz afundar num círculo vicioso de sentimentos negativos que arruínam nossa autoestima. Ok, não há como evitarmos uma decepção e nem fingirmos que algo ruim não aconteceu. Concordo. Mas por que alimentamos essa dor? Podemos aprender e/ou procurar uma solução, mas dar colorido a algo negativo nos impactará de tal forma que vamos contra nós mesmos.

Não regue o jardim das mágoas. Cultive sentimentos bons e plante novas sementes neste jardim. Chega de mágoas! Não há mais espaço para essa decepção que parece só dar frutos negativos. Há outros jardins bem mais interessantes e coloridos.

Uma excelente tarde a todos (com muitas flores de amor)…

Mariza Matheus

Foto: Martin Birkin (Public Domain Pictures)

5 thoughts on “Jardim das mágoas”

  1. Sarah

    Pois é Leonardo,é exatamente isso que temos que aguentar,além da vida sofrida,das dores,temos que aguentar a crueldade de quem teve sorte na vida.Já tentei desabafar mas ,parece que nem isso eu tenho direito.No final era mais maltratada ainda,diziam que era tudo frescura,que eu deveria parar de reclamar e perturbar os outros.Muitas vezes sinto como se as pessoas tivessem asco de mim,como se eu tivesse uma doença grave e contagiosa.Certa vez no auge da tristeza em pleno sábado a noite,quando todos os seres humanos normais e dentro dos padrões de beleza e aceitos pela sociedade estariam se divertindo,transando,vivendo,eu sem opções,entrei no site do CVV pra procurar uma alma disponível pra me dar um ombro,fiquei horas na fila do chat e quando chegou minha vez foram só decepções.A frieza do atendente foi incrível,ele se limitava a repetir as últimas palavras de minhas frases digitadas,depois de muitos minutos e de ter digitado muito percebi que ele não se manifestava mais,não imagina minha decepção quando descobri que estava sozinha no chat há quase 10 minutos.Fiz nova tentativa,dessa vez fui atendida por uma mulher,ela foi mais calorosa,mas também muito distante,estava digitando minha história quando ela simplesmente escreveu que não poderia me ajudar e que eu deveria entrar na fila novamente,e saiu sem me dar tempo de digitar nada.Fiquei arrasada,ainda bem que foi no chat,imagina se fosse por telefone,os atendentes desligando na minha cara….me senti um lixo.Tentei terapia por 2 vezes,da primeira vez com um homem,depois com uma psicóloga,de novo a mesma frieza,entrava nos consultórios me sentindo um inseto e saía na forma de uma bactéria,uma ameba,mas a mulher conseguiu ser mais cruel,praticamente disse que eu não precisava de medicação ou ajuda,mas sim de criar vergonha na cara e parar de posar de vítima perante a vida,que eu não era aleijada e que meu problema era falta de sexo e eu só precisaria pagar,pois haviam muitos profissionais no mercado.Ela foi a última pessoa pra quem contei ainda ser virgem,não por que eu não queria,mas por que tenho vergonha do meu corpo e por que nenhum homem nunca quis.Foi a última consulta que fui,já fazem quase 2 anos,saí do consultório tão sem chão que quase fui atropelada,e sinceramente não sei te dizer se eu realmente não vi aquele carro se aproximando,ou se eu tinha esperança de que tudo se acabasse ali,mas o carro parou e eu fui embora.Nunca mais procurei ajuda profissional,não aguentaria ser tão humilhada novamente.Hoje eu levo a minha vida em silencio,os únicos momentos bons são quando estou no meu quarto,onde ninguém pode me ofender,me ignorar,me tratar com desprezo.Tenho um emprego chato e um salário baixo,mas não posso perder,não conseguiria outro,as empresas pedem boa aparencia e isso eu nao tenho,minha mãe está doente e o salário que ganho não é o suficiente pra pagar o tratamento,terá que entrar na fila do SUS e você não imagina o quanto isso me humilha,muitas vezes tenho vergonha de encarar minha mãe,nem consigo olhá-la nos olhos,passou 9 meses da vida sofrendo pra gerar um ser totalmente inútil e incapaz.Se eu fosse bonita me prostituiria pra conseguir dinheiro pra cuidar da minha mãe,mas até pra vender o corpo a beleza é exigência.Eu não acredito que mudando meu jeito de pensar as coisas mudarão,por que o olhar das pessoas sobre mim nunca vai mudar,por que quando elas olham pra mim,veem uma criatura insignificante,fraca,feia,sem atrativos,sem talentos,sem nada pra oferecer,ninguém vai deixar de lado seus preconceitos por piedade de uma criatura como eu,por que eu existindo ou não,não faz diferença pra eles.Não tem como ser otimista vivendo a vida que eu vivo,sendo o que sou,não foi por falta de tentativas da minha parte,e ninguém vai mudar pra me agradar. Meu jardim de mágoa é esse ,ele não existe por que eu quero,não é constantemente regado por que eu quero,mas por que eu nunca tive outra opção.

    1. Mariza MatheusMariza Matheus Post Author

      Cara leitora,
      Sinto muito mesmo vc ter passado por essa experiência com a psicóloga. Totalmente antiprofissional o que ela disse a vc. Não tem sentido ela falar essas coisas e entendo seu atordoamento pelo ocorrido. Tem momentos na vida que nos sentimos um grãozinho de areia, sem nenhuma sensação de que faremos a diferença. Espero mesmo, no fundo do meu coração, que vc tenha outras experiências (agradáveis) que façam vc se sentir especial. Sei que vc não quer regar esse seu jardim das mágoas, mas se eu puder te orientar em apenas uma coisa: por favor, não se culpe ou critique a vc mesma. Há pessoas legais nesse mundo e espero que vc as encontre. Pessoas que irão te julgar pelo externo são pessoas que não tem nada a oferecer. Com certeza sua mãe não queria te ver assim. Fica complicado eu escrever em apenas um comentário algo que possa te acalmar. Espero que vc melhore. Abraço, Mariza

    2. Mellissa

      Não esperava encontrar alguém com uma história de vida tão sofrida e infeliz quanto a minha.Oi Sarah,sei bem o que você sente,por que diariamente passo por situações parecidas.Difícil encontrar alguém que entenda.Se quiser segurar uma mão tão ferida quanto a sua,eu estendo a minha.
      natten78@hotmail.com

      Mellissa

  2. Sarah

    O jardim das mágoas é regado pelas lágrimas de quem vive uma vida chie a de tristezas,decepções ,frustrações,angústias e solidão.Ninguém cultiva esse tipo de jardim por que quer,algumas pessoas neste mundo não tem escolha.Difícil pra quem não experimenta esse tipo de vida entender.Fácil dizer o que se precisa fazer pra mudar,mas a mudança nem sempre resulta em algo melhor.

    1. Leonardo

      Verdade, algumas pessoas não tem escolha e se livrar da mágua quando as pessoas parecem esfregar tudo de bom na cara de outras que não tiveram tanta sorte e não apenas isso como também esfregam na nossa cara o que mais tem de negativo na gente sempre querendo usar isso para nos afundar, é difícil elevar a auto estima e esquecer a mágua quando os nossos defeitos são esfregados na nossa cara constantemente por terceros quase diariamente.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>