“Doutora, por que o remédio não faz efeito?”

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

depressão

Essa frase (acima) já escutei algumas vezes. Salvo os casos onde temos que ajustar as dosagens e acertos medicamentosos, é preciso de tempo para notar a melhora clínica dos pacientes. Refiro-me aqui, neste texto, à depressão. Eu adoraria arrancar com as mãos a angústia de meus pacientes já na primeira consulta. Mas isso não é possível.
.
Nem toda depressão necessita de remédios, porém em muitos caso, quando chega ao consultório médico, é preciso iniciar com a medicação. Muitos pacientes buscam no medicamento a “salvação” para todos os problemas. Infelizmente (ou felizmente) o medicamento é coadjuvante no tratamento da depressão. O tratamento para o transtorno depressivo é uma tríade onde o médico, terapeuta e paciente participam ativamente.

.
É preciso investigar com cuidado o “porquê” do paciente ter entrado neste quadro. Mas uma coisa é certa, o paciente é RESPONSÁVEL também por sua recuperação. Não adianta tomar medicamento, frequentar a psicoterapia e não mudar determinados comportamentos “destrutivos”.
.
Pílulas mágicas só existem nos contos de fadas. Na vida real é preciso paciência e tempo para a recuperação. Geralmente o antidepressivo demora de duas a três semanas para iniciar seu efeito. É preciso seu organismo criar um receptor específico para este antidepressivo e isso leva tempo. Não há antidepressivo que nos primeiros dias já faça efeito terapêutico ou terapia que em uma única sessão resolva todos os conflitos do paciente. Não podemos esquecer no ajuste da dosagem. Nem sempre o paciente fica com a dosagem do remédio na primeira prescrição médica. É preciso reajuste e um acompanhamento cuidadoso com o especialista. NÃO AUMENTE O REMÉDIO POR CONTA PRÓPRIA!
.
Nas primeiras semanas (até o retorno) geralmente destacam-se mais os efeitos colaterais ou adaptativos do medicamento. Comunique seu médico caso um efeito colateral esteja intenso. Os efeitos colaterais dependem da medicação prescrita, mas geralmente são mais comuns: cefaleia, enjoo, insônia, sonolência e tontura.
.
Calma! O tratamento vai funcionar, mas FAÇA  A SUA PARTE também, ok?
.
Tenha paciência, caro paciente!
..
O importante é seguir corretamente as orientações de seu médico(a) e terapeuta.
 .
Abraço a todos,
 .
Mariza Matheus
Antidepressivo, remédio, depressão, depressão tem cura, depressão pós parto

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>