Category Archives: Psiquiatria

“Doutora, por que o remédio não faz efeito?”

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

depressão

Essa frase (acima) já escutei algumas vezes. Salvo os casos onde temos que ajustar as dosagens e acertos medicamentosos, é preciso de tempo para notar a melhora clínica dos pacientes. Refiro-me aqui, neste texto, à depressão. Eu adoraria arrancar com as mãos a angústia de meus pacientes já na primeira consulta. Mas isso não é possível.
.
Nem toda depressão necessita de remédios, porém em muitos caso, quando chega ao consultório médico, é preciso iniciar com a medicação. Muitos pacientes buscam no medicamento a “salvação” para todos os problemas. Infelizmente (ou felizmente) o medicamento é coadjuvante no tratamento da depressão. O tratamento para o transtorno depressivo é uma tríade onde o médico, terapeuta e paciente participam ativamente.

Continue reading »

Síndrome do Pânico

Face of Fear

Hoje recebi uma mensagem de uma fiel leitora pedindo uma orientação a respeito da Síndrome do Pânico. Recebo muitos, mas muitos pacientes com essa queixa. Um número cada vez maior de pessoas reclamam de terem crises de pânico nos dias de hoje. O estresse é uma fonte importante que desencadeia uma crise do pânico. Continue reading »

Pense em um tigre branco (PNL)

PNL exercício

O texto acima pode ter trazido experiências diferentes para você. Pode ter sido cansativo, por eu ter escrito muitas vezes a palavra tigre ou pode ter sido uma experiência interessante, com sensações de aperto no peito contrapondo com vontade de proteger. Cada pessoa vai interpretá-lo de uma maneira diferente. Somos assim, únicos. Voltando ao texto, quantas vezes eu escrevi a palavra tigre? Continue reading »

Adolescência

Foto de Diário da autoestima.

Percebo, em meus atendimentos, que muitos pais ficam perdidos quando seus filhos se tornam adolescentes. Ser adolescente é desvendar o mundo de forma única e especial. Não gosto de rotulá-los como “aborrecentes” e aceitar que tudo é normal, principalmente os comportamentos destrutivos. Concordo que muitas vezes eles agem no impulso e apresentam uma dificuldade maior na com unicação, principalmente com seus responsáveis.

A busca da identidade e individualidade passa a ser prioridade. Querer ser igual ao grupo e, ao mesmo tempo, original é uma contradição fascinante que só na adolescência é permitido. Os sonhos começam a ter forma e os caminhos se abrem com a velocidade de um piscar de olhos. Tudo é eterno, menos o humor. São indestrutíveis e frágeis. São enigmáticos e previsíveis.

Adoro a adolescência. Que venha cheia de sabores e cores, sem nunca deixar seu brilho apagar.

OBS: Qualquer mudança abrupta do comportamento, mentiras constantes, isolamento afetivo e rompantes de raiva devem ser investigados.

Uma excelente tarde a todos,

Dra. Mariza Matheus (Sonora Clínica).