Amores Idealizados

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Por que tendemos a achar que aquele amor do passado, e que nos fez sofrer muito, é o grande amor de nossa vida?

Tendemos a idealizar aquele amor que nos marca mais, porém focamos nas marcas negativas (aquele que nos abandonou, que nos traiu, que nos humilhou, etc).

Um amor tranquilo e sem provocar instabilidade emocional em nós não é sinônimo de “semgraceza” (desculpe-me o neologismo – mas um amor sem graça, sem sal, sem emoção).

Devemos focar no que buscamos e idealizar menos o outro. Um verdadeiro e grande amor nos faz bem, ressalta nosso lado estável e tranquilo no emocional. Um amor ponderado sem a necessidade de cobranças ou mudança de nosso “eu” para ser quem o outro espera de nós. Devemos ser nós mesmas(os) e entender que um grande amor flui naturalmente, sem ressaltar nosso pior lado (aí só você para reconhecer se te faz bem ou não).

Um excelente fim de noite a todos (sem idealizações)…

Diário da Autoestima

Amor, Autoestima, amor próprio, idealizado

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>