A Era do exibicionismo?

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Atualmente quase todas as pessoas que usam a internet tem um contato em redes sociais. Sei que não posso generalizar, mas é muito mais comum você encontrar alguém que tem uma conta no Facebook. Eu mesmo acesso meu Face todos os dias, não posso mentir. Acho que tenho até um vício na net. Mas confesso que fico insegura ao me expor tanto, para isso prefiro expor meus hobbies e me preocupo com o impacto que isso pode causar (em ser cansativa, por exemplo).

Se analisarmos como as redes funcionam, basicamente encontramos perfis parecidos, como aqueles que mostram seu lado romântico ao parceiro(a), aqueles que não cansam de mostrar suas opiniões políticas, os que sempre divulgam suas viagens, aqueles que estão sempre se divertindo em alguma balada da moda, aqueles que mandam mensagens através de frases de efeito, etc. Uma coisa é certa, a rede social é uma vitrine. Mas para quem queremos nos mostrar? Que tipo de atenção queremos? Que mensagem queremos passar? Acredito que refletir sobre isso vale a pena. Você já pensou que mensagem quer passar para o mundo? Não? Então reflita um pouco sobre isso, pois acredito que quanto mais conscientes de nossas ações estivermos, melhores resultados podemos obter.

Não vejo problema algum em ter uma rede social (eu tenho e gosto!). Mas, não sei se você vai concordar, há um exibicionismo exagerado como se estivéssemos formando uma nova geração narcisista. A impressão que tenho, ao entrar na rede social, é que todas as pessoas vivem uma vida fabulosa, cheia de entretenimento ou que estão completamente perdidas em suas próprias mágoas e decepções e precisam que todos saibam disso. Já o que escuto no consultório é totalmente diferente, pessoas se sentindo cada vez mais solitárias. Será que estamos interpretando um papel idealizado? Qual sua opinião sobre isso?

O mundo evoluiu e a tecnologia está aí. Fato! Mas que adianta fingir ser alguém? Por que se expor tanto? Acho que as redes sociais podem sim aproximar as pessoas, mas aquela ligação para seu amigo, aquele convite para o churrasco, o almoço de domingo em família também devem ser apreciados (inteiramente!). Preciso divulgar cada passo meu aos meus contatos? Posso encontrar meus amigos sem a culpa de ter esquecido de divulgar a foto no Face, pois aproveitei o momento intensamente? Tudo bem me aceitar com meus defeitos sem ter a necessidade de ser uma imagem idealizada?

Acho que devemos estar sempre no equilíbrio, sem radicalismos. Tudo exagerado fica cansativo, falso, não natural. Seja de um lado ou de outro. Você pode ser um fanático por selfies ou um avesso à qualquer tipo de tecnologia que estará nos extremos do mesmo jeito. Bom, na verdade você pode ser quem você quiser! Quem sou eu para dizer quem você tem que ser? Só não tente ser que você não é, ok? Não seja uma idealização na vitrine, pois isso pode gerar um sofrimento a você, seja agora ou no futuro. Siga sua essência e seja você mesmo. Você não precisa provar nada a ninguém. Se quiser se expor em demasiado, ok, mas não o faça porque todos assim o fazem. Seja você mesmo!

Uma excelente semana a todos!!!!

Mariza

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>