Nada é por acaso

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Diz a lenda:

Um dia, um senhor percebera que seu único cavalo havia sumido. Procurou, procurou e nada de encontrá-lo. Seus vizinhos o ajudaram com muito afinco, mas nada de encontrarem o cavalo. Um deles falou para o José, dono do cavalo desaparecido:

– Zé, que azar! Seu único cavalo!

E zé respondeu:

– Veremos…

Dias depois o cavalo fora encontrado e, para surpresa de José, o mesmo estava acompanhado de mais dois outros cavalos selvagens.

Seu vizinho exclamou:

– Que sorte, Zé! Agora você tem 3 cavalos!

– Veremos…

Semanas mais tarde o filho de Zé treinava os cavalos quando sofreu uma queda quebrando uma das pernas.

O vizinho de José exclamou mais uma vez:

– Que azar, Zé! Seu filho não vai mais poder participar da competição anual de montaria. Que azar!

– Veremos… (disse Zé mais uma vez).

Dias depois uma guerra começou na região e todos os jóvens foram convocados a defender sua pátria. O  filho de José não fora convocado em decorrência de sua perna quebrada.

Mais uma vez seu vizinho exclama:

– Que sorte! Seu filho não vai precisar ir pra guerra!

E assim, a lenda continua…

Por mais que uma decepção de hoje aconteça inesperadamente como se fosse um azar, lembre-se que este “azar” pode ser a SORTE de amanhã.

_____________________________________________________

Essa lenda acabei ler no livro sobre meditação de Stephen Bodian (é uma lenda popular dos povos orientais) e o nome José (Zé) é fictício (adaptado para os nomes brasileiros).

Um excelente final de semana a todos…

Diário da Autoestima

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>